18 de maio de 2024

BUTTINA GASTROBAR

BUTTINA FUTEBOL AO VIVO E GASTRONOMIA

Pia evitar falar sobre futuro na seleção após eliminação na Copa do Mundo

3 min read

Pia evitar falar sobre futuro na seleção após eliminação na Copa do Mundo

“Meu contrato termina em agosto do ano que vem”, limitou-se a dizer a sueca durante coletiva de imprensa em Melbourne

O vínculo de Pia com a seleção termina dia 30 de agosto de 2024, alguns dias após o fim da Olimpíada, que tem seu encerramento previsto para dia 11

Categorias: Seleção Brasileira

Por: Agência Estado, 02/08/2023

Pia evitar falar sobre futuro na seleção após eliminação na Copa do Mundo

Destaques

Campinas, SP, 02 – A treinadora Pia Sundhage deu uma resposta curta ao ser questionada, após o empate sem gols com a Jamaica e a consequente eliminação na fase de grupos da Copa do Mundo, se continuará no comando da seleção brasileira feminina de futebol. “Meu contrato termina em agosto do ano que vem”, limitou-se a dizer a sueca durante coletiva de imprensa em Melbourne.

Antes do desfecho frustrante, o presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, disse em entrevista ao GE que estava satisfeito com o trabalho da comissão técnica e que não havia “nem como ter a opção” de mudança porque os Jogos Olímpicos de Paris-2024 estão muito próximos. O vínculo de Pia com a seleção termina dia 30 de agosto, alguns dias após o fim da Olimpíada, que tem seu encerramento previsto para dia 11.

Durante a coletiva, a treinadora também falou sobre a possibilidade de continuar contando com Marta na seleção. A Rainha do Futebol garantiu, ao fim do jogo, que foi sua última Copa do Mundo, mas ela pode querer disputar os Jogos de Paris-2024. Para Pia, contudo, é incerto se isso será possível.

“A Marta, eu não sei, acho que ela vai continuar a jogar. Agora, se vai ser convidada para a seleção, temos que ver”, disse. “Daqui para frente, enquanto eu estiver à frente da seleção, vamos trabalhar para encontrar novos jogadores. Vai ficar cada vez mais difícil para a MArta continuar na seleção”, completou.

Ao tentar explicar o desempenho ruim do Brasil, a sueca citou a organização defensiva das jamaicanas e o nervosismo das brasileiras como os principais motivos. “Quando não conseguimos derrubar a defesa delas, aí, é claro, ficamos um pouco mais nervosas. E quando ficamos nervosas, acabamos ficando mais lentas. Talvez tenhamos ficado com pouca coragem”, afirmou.

Pia também destacou o quanto o futebol feminino evoluiu, razão de os jogos estarem mais equilibrados, mesmo quando nações de menos tradição estão em campo. “Todo mundo está mais bem organizado agora. A parte física está melhor também. A velocidade de jogo daqui para frente vai ser muito importante. Neste novo período de quatro anos, a melhor equipe vai se concentrar em não ceder tanto a bola como nós fizemos hoje. No geral, estou muito impressionada com a defesa e organização de todas as equipes”, disse.

Categorias: Seleção Brasileira

Por: Agência Estado, 02/08/2023

Confira também:

Noticias Relacionadas