18 de maio de 2024

BUTTINA GASTROBAR

BUTTINA FUTEBOL AO VIVO E GASTRONOMIA

COPA DO MUNDO: Com três gols em 8 minutos, Espanha bate Suécia e chega à final pela 1ª vez

5 min read

COPA DO MUNDO: Com três gols em 8 minutos, Espanha bate Suécia e chega à final pela 1ª vez

Agora, as espanholas encaram na final da Copa no domingo a outra finalista do confronto entre Inglaterra e Austrália

Categorias: Futebol Feminino

Por: Agência Estado, 15/08/2023

Destaques

Campinas, SP, 15 – Pela primeira vez em sua história, a Espanha está em uma final de Copa do Mundo feminina. Na madrugada desta terça-feira, dia 15, as espanholas bateram a Suécia por 2 a 1 em jogo válido pela semifinal do Mundial de 2023 e garantiram a tão sonhada vaga na decisão do torneio. Agora, elas esperam a vencedora do confronto entre Inglaterra e Austrália, que jogam nesta quarta, às 7h de Brasília.

O melhor ataque da competição contra a melhor defesa do torneio. Essa era a promessa que o jogo entre Espanha e Suécia vendia e, ao longo de quase toda a partida, foi isso o que se viu. Ambas as seleções não fugiam de seu estilo de jogo, com as espanholas com muita posse de bola e as suecas com uma marcação firme e consistente. Com isso, o primeiro tempo foi travado e de poucas chances. O zero a zero no placar permaneceu ao final da etapa inicial.

No segundo tempo, uma Suécia mais atrevida até ensaiou um jogo mais ofensivo, mas a partida se manteve na mesma tônica – uma Espanha com dificuldade na finalização da jogada e uma Suécia que marcava bem, mas que não conseguia explorar os espaços deixados por suas rivais. Tudo mudou com a chegada de Salma Paralluelo.

Aos 19 anos, a atacante do Barcelona substituiu Alexia Putellas, melhor jogadora do mundo, e repetiu o que havia feito nas quartas de final contra a Holanda, marcando um gol decisivo que alterou o rumo da partida. Aos 36 minutos, a jovem abriu o placar do confornto em um tento que parecia sinalizar a classificação espanhola.

As suecas, no entanto, ainda encontraram forças para reagir e, sete minutos depois, conseguiram o gol de empate com a atacante Rebecka Blomqvist. O que elas não esperavam era que, somente um minuto após alcançarem a igualdade no placar, veriam a Espanha marcar um novo gol e, dessa vez sim, selar a classificação para a final inédita.

Agora, as espanholas encaram na final da Copa no domingo a outra finalista do confronto entre Inglaterra e Austrália, que jogam nesta quarta, às 7h de Brasília.

TALISMÃ ESPANHOL

Ela fez de novo. Aos 19 anos, Salma Paralluelo marcou um gol em mais um momento decisivo e provou que é o talismã espanhol capaz de sair do banco e resolver partidas. Substituindo a estrela Alexia Putellas, Paralluelo marcou o gol que abriu o marcador e colocou a Espanha em vantagem contra a Suécia no jogo válido pela semifinal do Mundial.

Se hoje a atleta brilha nos campos de futebol e é considerada uma das mais promissoras jogadoras da nova geração espanhola, o futuro de Paralluelo nem sempre esteve dentro das quatro linhas de um campo. Durante sua adolescência, a jovem era uma exímia corredora e se destacava no atletismo. Ao longo de sua juventude, ela treinou e competiu em ambas as modalidades e queria ser um grande destaque nos dois esportes.

“Sempre me vi alcançando o topo nos dois esportes. Já me disseram que tenho um corpo feito para o atletismo, mas no futebol eles dizem também que tenho ótima forma física e capacidade de aprender quando se trata de treinamento”, afirmou em entrevista ao site da Fifa. O destino, no entanto, a fez escolher, como era natural em algum momento. Em julho do ano passado, Paralluelo sofreu uma lesão grave no ligamento cruzado anterior do joelho e, durante a sua recuperação, optou por voltar o foco somente para o futebol.

No futebol, começou na base do Real Zaragoza, mas logo chamou atenção do Villarreal. Lá, se destacou e, em 2022, foi contratada pelo Barcelona, onde foi peça fundamental na conquista da Liga dos Campeões e no Campeonato Espanhol. Na seleção espanhola principal, ela ainda é reserva, mas já mostrou que tem faro de gol e que cresce em momentos decisivos. Já nas categorias de base, Paralluelo foi um dos destaques das conquistas dos Mundiais sub-20, em 2022, e sub-17, em 2018.

ESPANHA TENTA SUPERAR BOICOTE DE JOGADORAS E BRIGA COM TÉCNICO

Quem vê a seleção espanhola em campo durante a Copa do Mundo feminina de 2023 não imagina que o clima no vestiário e tenso e dividido. Apesar da classificação histórica para a primeira final de um Mundial da equipe, há uma enorme rusga entre jogadoras, comissão técnica e a própria federação de futebol. A insatisfação espanhola veio à público em setembro do ano passado quando veículos esportivos divulgaram que 15 jogadoras espanholas haviam escrito uma carta para a federação de futebol do país pedindo melhorias estruturais na seleção.

A carta afirmava que o ambiente do time era “tóxico”, que os treinamentos e métodos utilizados pela comissão técnica eram defasados e terminava com um ultimato: ou o técnico Jorge Vilda, principal fonte dos problemas de acordo com as jogadoras, era demitido, ou as 15 atletas que assinaram o documento não jogariam mais pela Espanha. A repercussão com os torcedores espanhóis, no entanto, não foi das melhores, e parte das atletas que formularam o documento vieram à publico afirmar que não haviam pedido a demissão do técnico Vilda, somente uma reestruturação na seleção.

Nomes importantes da seleção como Alexia Putellas, Aitana Bonmatí, Jenni Hermoso e Irene Paredes não assinaram a carta, mas propagaram o texto para seus seguidores. De acordo com a imprensa espanhola, Putellas, Bonmatí e Paredes já teriam pedido a demissão de Vilda no fim de agosto. Há oito anos no comando da seleção da Espanha feminina, o técnico teve o apoio da federação e convocou a equipe para a Copa do Mundo com importantes ausências de jogadoras que optaram por não atuar no torneio. Dentre as 15 signatárias do documento, apenas três retonaram ao time.

Categorias: Futebol Feminino

Por: Agência Estado, 15/08/2023

Noticias Relacionadas